Pequenas empresas, grandes paixões – A era dos relacionamentos beneficiando pequenos negócios

Para muitos empresários, especialmente os de pequeno porte, marketing, publicidade, comunicação empresarial, assessoria de imprensa, entre outros, são termos confusos, dos quais não se conhecem os limites. No dia-a-dia, é comum vermos micro e pequenos empresários acreditando que estratégias de marketing são apenas para grandes empresas ou, ainda, que demandam grandes investimentos financeiros. A partir daí, muitos vêem o marketing e a exploração de suas ferramentas como algo distante de sua realidade.

Mas não é bem assim. Com a globalização, em que as pessoas são literalmente atacadas por grande quantidade de informação, e diante da abundância e facilidade da comunicação proporcionada pelas novas ferramentas e acessos, para fortalecer a marca de uma empresa, conquistar novos clientes, mantê-los e maximizar as vendas, é necessário que as organizações de pequeno porte entendam e encarem o marketing como uma de suas prioridades de gestão.

O que se pretende expor nestas linhas iniciais é que o desenvolvimento de ações simples de comunicação e marketing pode ser acessível a qualquer negócio, independentemente de seu porte. Através de um plano eficiente de comunicação por relacionamento, não necessariamente com alto investimento financeiro, torna-se possível elevar a marca, a imagem e o conceito de uma empresa.

Ações de marketing, baseadas na construção de relacionamentos diferenciados com seus públicos, podem trazer excelentes resultados, tornando o negócio atrativo, proporcionando aumento de participação na área em que atua ou, ao menos, viabilizando a competitividade da empresa. O desconhecimento das estratégias e ferramentas de marketing, associado à falta de tempo para se dedicar à gestão de seus negócios, por parte dos empreendedores, aparece em dados estatísticos com um dos principais fatores de fracasso das empresas de pequeno porte, que acabam por fechar as portas antes mesmo de completar o primeiro ano de vida.

Mas qual seria exatamente a compreensão das MPEs quanto à importância da comunicação de marketing baseada em relacionamentos, para seus negócios?

Pode-se concluir que os relacionamentos são os bens fundamentais da qualquer empresa nos dias de hoje; mais do que as patentes, os produtos ou os mercados, os relacionamentos determinam o futuro da organização. Se os clientes forem receptivos a um vínculo aprofundado, eles farão mais negócios com ela. Se os funcionários gostarem de trabalhar na empresa, prosseguirão com sua curva de aprendizado e produzirão mais e melhor. Os relacionamentos das MPEs, sobretudo com os clientes, poderão ser prognosticados com mais perfeição.

No mercado acelerado que se vive hoje, há cada vez mais, a necessidade de se manter uma posição diferenciada com relação a clientes, buscando versatilidade. Já não dá mais para ficar engessado nas teorias, planilhas, gráficos e modelos propostos por grandes autores. Há muitas pequenas empresas seguindo o mesmo manual. Quando todo mundo resolve vencer a diferenciação da mesma maneira, ninguém chega a lugar nenhum. As “fórmulas” não conseguem lidar com a emoção humana. Elas não têm imaginação, nem simpatia.

A baixa intensidade de capital faz com que eles hesitem em investir recursos em comunicação. O pequeno negócio tem a seu favor a “chave” do sucesso: proximidade com seus clientes, funcionários e fornecedores. Nesse momento de transição, em que a publicidade e propaganda (meios de comunicação com investimento elevado) perdem posição na mente do consumidor, fica mais fácil a entrada das MPEs.

Relacionar-se, encantar, respeitar e emocionar são, em conjunto, a grande oportunidade para as pequenas empresas conquistarem e manterem seus clientes. Em meio a tantos produtos/marcas/serviços iguais, os clientes (internos e externos) querem ser únicos. Querem atenção, informação, querem ser reconhecidos, ouvidos, querem ter suas emoções despertadas, querem participar.

Seguem abaixo exemplos de ações de comunicação e marketing por relacionamento com baixíssimo custo, para serem testadas por empreendedores que acreditam no seu negócio e na força que o marketing pode dar para sua empresa; ou através de um profissional contratado da área, ou, a melhor opção, que os próprios donos do negócio dispensem algumas horas semanais para entendimento, aplicação e avaliação das ações de relacionamento.

1)     Construa sua Micromunicação (Itens básicos de comunicação que toda empresa deve ter): Identidade visual, papelaria administrativa, folhetos, site, apresentação digital e CRM);

2)     Organize as informações: Independente de ser em uma simples planilha de Excel ou em algum software pago, o importante é que o maior número de informações do seu público esteja arquivado;

3)     Defina seu posicionamento: Reflita sobre os objetivos da empresa, e principalmente, descubra como você deseja ser percebido pelos seus clientes. Liste a personalidade e características da empresa, como se fossem de uma pessoa física;

4)     Construa páginas empresariais nas redes sociais: O consumidor é 2.0. É na web, em páginas, blogs e chats que eles estão se expondo. Aproveite para estar mais próximo dele, ouvi-lo, surpreendê-lo etc.

5)     Reconheça os seus vizinhos: Faça-se conhecido localmente. Descubra como as empresas/pessoas ao seu redor podem se interessar por seu negócio. Estreite relacionamento com essas pessoas que, mesmo que não “consumam” o seu negócio, serão fortes propagadores da sua empresa;

6)     Gere conteúdo: Seus clientes se interessam direta ou indiretamente por seus produtos/serviços. Leve até ele informações constantes, dicas e novidades. Através de email marketing, redes sociais, site, blog, revistas, jornais etc.

7)     Promova eventos: Sejam eventos enormes ou um simples café da manhã, esse tipo de ação objetiva a interatividade com as pessoas;

8)     Reconheça talentos: Os colaboradores são os principais clientes. Eles, sobretudo, precisam “comprar” o seu negócio para vendê-lo. Valorize os funcionários que vestem com você a camisa para o sucesso do seu negócio;

9)     Surpreenda seus clientes: Aniversários, datas comemorativas, brindes, presentes, carinho, resposta rápida a dúvidas/reclamações/sugestões, são apenas alguma formas de se relacionar positivamente com quem se conhece.

10) Potencialize seu negócio: Fornecedores, clientes e funcionários devem ser encarados como parceiros de negócio. que, juntos, somam esforços para atingir os objetivos individuais de cada um.

Essas são apenas algumas das inúmeras possibilidades de se relacionar positivamente com seus públicos, conquistando e mantendo clientes.

Clientes são seres humanos que devem ser tratados, respeitados e amados como fazemos nas relações pessoais. As micros e pequenas empresas que se atentarem a este momento e buscarem conhecimento para investir tempo em relacionamentos dentro da organização serão fortes candidatas a se transformarem em Pequenas Empresas, Grandes Paixões!

Por: Lívia de Souza Pinheiro
Profissional de marketing, coordenadora de projetos de comunicação por relacionamento na Demberg.Com

Compartilhe agora
divider-tags
Saiba mais sobre:

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar

Conheça o 4work Coworking, espaço de Coworking em Vila Velha, ES

O 4work coworking é um espaço de coworking com duas unidades no bairro Praia da Costa em Vila Velha/ES, com salas compartilhadas e privativas

Como fechar seus primeiros clientes de Social Media em tempo recorde

Sim, é possível fechar seus primeiros clientes de Social Media em tempo recorde.

Nicho lucrativo para prestar serviços de Marketing Digital e Social Media

Sem dúvidas esse é um dos melhores nichos para prestar serviços de Social Media e Marketing Digital